quinta-feira, 30 de outubro de 2014

O Último Lugar da Terra - Roland Huntford


No início do século XX houve a lendária "corrida" ao Pólo Sul. De um lado a imponência, da rica e grande expedição inglesa e do outro a sólida e pequena expedição norueguesa. Roland Huntford fez uma obra fantástica sobre essa que foi uma das grandes conquistas expedicionárias do século passado. O livro O último Lugar da Terra é o resultado de uma extensa pesquisa em diários, anotações e documentos da época. Sendo assim o autor apresenta detalhadamente a preparação, a jornada e os resultados sobre essa disputa entre Roald Amundsen (norueguês) e Robert Falcon Scott (inglês).

terça-feira, 14 de outubro de 2014

Meia Corda - Arthur Egg


Assim que soube do lançamento desse livro resolvi adquiri-lo. Não porque se tratava de uma narrativa de grandes feitos, mas porque sabia que encontraria histórias de montanha a níveis comuns e ainda em lugares que já estive. Quando você lê um livro que aborda lugares que já conheceu, a leitura é outra.
A obra “Meia corda – E outras incríveis histórias medíocres de montanha” do Arthur "Tuco" Egg é de um relato pessoal de vivências de montanha ao longo de alguns anos da sua vida. O autor deixa claro que algumas histórias pode haver erros, afinal, todos sabem que acabamos misturando uma história com a outra. Isso não muda em nada a qualidade do livro. E o torna ainda mais próximo daquelas histórias contadas em rodas de amigos.
A leitura é dinâmica e engraçada. Talvez até mais engraçada do que deveria ser. Essa é minha única crítica. Parece que em alguns momentos ficou meio forçado o humor. As histórias descritas pelo autor se assemelham muito às vivências de todo montanhista. Pois relatam aquelas banalidades e perrengues que sempre voltamos a recordar. Afinal são poucos montanhistas que chegam a um nível elevado a ponto de realizar grandes feitos.  E as histórias de quem não foi um montanhista excepcional, não significa que sejam irrelevantes.

quarta-feira, 1 de outubro de 2014

A 600° Celsius - Stanley Williams

Como amante de montanhas e ciência, comprei anos atrás o livro A 600 graus Celsius.
A obra é narrada em primeira pessoa pelo cientista estadunidense Stanley Williams que estava junto com outros cientistas num evento voltado ao estudo de vulcões. Esse encontro ocorreu na Colômbia, em 1993. A cereja do bolo seria a atividade “in loco”, na qual os pesquisadores recolheriam materiais no vulcão Galera (4.275m), fariam medições de gases, vibrações e radiação. Embora a leitura não seja muito dinâmica, ela envolve o leitor pelo conteúdo científico na qual é apresentado em uma leitura de fácil interpretação. Além de todo o conteúdo científico que, por si só já valeria a leitura, ainda há uma série de informações históricas de erupções catastróficas que ocorreram na terra ao longo de centenas de anos.

quinta-feira, 17 de julho de 2014

Pra quê a pressa?


Foto: Shutterstock
Há algo que vem me incomodando nos últimos meses. É a pressa das pessoas em tudo durante o dia a dia! Percebo que cada vez mais as pessoas só querem fotos, vídeos intensos e rápidos, textos de um parágrafo só. As pessoas querem muitos likes naquela publicação no facebook, e querem o mesmo número ou mais na publicação dos dias seguintes. As pessoas não querem saber como foi a sua viagem, elas querem saber quanto custou e quanto tempo durou. Antes de você dizer o que achou da viagem, o assunto da pessoa já é outro.
Até mesmo convidar os amigos para subir uma montanha, na grande maioria das vezes se nessa empreitada tiver que acampar, reduz 80% o número de interessados. Elas não querem esperar a nuvem passar, o tempo abrir e então aproveitar a paisagem. Elas querem o tempo bom instantâneo, uma foto rápida com uma pose relax, para nas redes sociais passar a impressão de ser uma pessoa "zen". E claro, essas pessoas não esquecem de complementar com #natureza, por exemplo.

sexta-feira, 23 de maio de 2014

Saiba como foi a Adventure Sports Fair 2014

Movimento intenso no setor Board Sports Fair / Foto: Natália Santos
A Adventure Sports Fair é a maior feira de esportes de aventura da América Latina. Acontece todos os anos na cidade de São Paulo. Visitei pela primeira vez ano passado e gostei bastante! Mas na ocasião tive somente um dia e o tempo foi insuficiente.
Para este ano me programei, e decidi visitar a feira por dois dias. Lançamos o Canal YouTrip, um canal de viagens e aventura, na qual você pode conferir aqui o TEASER. Um projeto inédito no YouTube Brasil.
Nessa edição da feira, tive ao oportunidade assistir muitas oficinas e palestras.

segunda-feira, 5 de maio de 2014

Garrafa Nalgene de 1 litro - Review


Detalhe da boca / Foto: Glauco
A estadunidense Nalgene é uma marca fabricante de garrafas no líder no setor outdoor a nível mundial. Possui características ideias para praticantes de atividades outdoor, como montanhismo, canoagem em águas brancas e demais esportes do gênero. A Nalgene também é famosa por produzir atualmente seus produtos "BPA Free", ou seja, livre de bisfenol-A. Substância cancerígena presentes em muitas outras garrafas do gênero, e há um tempo atrás, até mesmo nas garrafas Nalgene!


segunda-feira, 28 de abril de 2014

Ética na contratação de carregadores

Sherpa no Everest - Foto: David Pickford
Existem basicamente duas maneiras de se fazer um trekking de longa duração. A primeira e mais admirada, é a realização do trekking sendo autossuficiente. Ou seja, você sozinho ou com seus amigos, se preparam com equipamentos e mantimentos para um determinado período de caminhada, acampamentos e um certo isolamento. De modo geral, este estilo de praticar montanhismo é realizado por quem já tem uma boa experiência. Afinal, é preciso saber avaliar com uma boa precisão a quantidade, os tipos de alimentos deverão ser levados e quais equipamentos serão necessários. Este estilo de trekking pode ser feito com ou sem guia. O outro modo de realizar trekking de longa duração é contratando carregadores/porteadores. Neste modo de praticar montanhismo, o trekker tem a opção de não carregar seus pertences, deixando a cargo do carregador levar seus pertences. De modo geral, esta é uma maneira de diminuir os esforços para se chegar a um objetivo, por exemplo, o cume de uma montanha. A maioria das vezes estes serviços são contratados por pessoas com pouco preparo físico, inexperientes, doentes ou preguiçosos.

quarta-feira, 23 de abril de 2014

Pesquisa sobre o Mercado Oudoor no Brasil


O Mercado Outdoor no Brasil vem crescendo há alguns anos. O interesse da população por exportes de aventura está crescendo e consequentemente faz com aqueça o mercado outdoor. Além das marcas estrangeiras que entraram no mercado nacional, há ainda diversas novas empresas nacionais que vem conquistando seu espaço.
No Encontro da Web Outdoor, que será realizado na Adventure Sports Fair, o mercado outdoor é parte dos temas abordados, e é de grande relevância para os blogueiros/administradores de sites e expositores que estarão participando na feira.
A pesquisa tem o objetivo de avaliar como os consumidores optam pelos equipamentos, métodos de compras, lealdade às marcas, compras internacionais, valor dos equipamentos no mercado nacional e exigências em relação a qualidade dos produtos.
Para que possamos ter dados atuais e consequentemente mais precisos, peço que participem respondendo a pesquisa:

segunda-feira, 24 de março de 2014

Como os brasileiros pen$am sobre viagen$

Estava eu numa palestra de um casal que viajou pelo mundo por três anos. Um casal extremamente simples, alegre e consciente. A palestra foi magnífica, com belas imagens e contos não citados no livro do casal. Quando chegou o momento das perguntas, várias pessoas levantaram as mãos e a primeira pessoa que fez uma pergunta, disse: "- Quanto vocês gastaram?"
Levei as mãos ao rosto e abaixei a cabeça. Senti vergonha alheia pela pergunta do imbecil ao meu lado. Senti pena do palestrante que durante sua apresentação enfatizou as relações humanas, a paixão pela natureza e os valores de uma vida simples durante e posterior a viagem.

sexta-feira, 7 de março de 2014

Outros Céus - Ricardo D'Addio


A ideia é simples, se você gosta de blogs de viagem, principalmente da cultura mochileira, então vai gostar do livro.

O autor narra de maneira interessante suas experiências no espaço de tempo de quase 30 anos de viagens de mochilão pelo mundo. Esse foi o primeiro livro que li e que não relata as viagens em ordem cronológica ou geográfica. A princípio não esperava muito desse formato, mas se mostrou interessante e não cansativo.  Além de que é uma maneira legal de desviar dos lapsos de memória (para quem escreve), haja visto que nem sempre conseguimos manter um diário de viagem em dia, durante a própria viagem.

segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

Polainas de Trekking - Por que usar?

Polaina é um acessório utilizado em trekking e escalada em gelo. Seu uso ainda é ainda pouco difundido no Brasil, talvez pela falta de conhecimento. Considero-o um acessório de vestimenta muito útil, dependendo do lugar que irá visitar. É utilizado preso em volta da canelas/tornozelos, possui uma fita na qual "abraça" a bota e um grampo para engatar no cadarço. Possui diversas funções, de acordo com o terreno. São fabricadas em materiais resistentes como cordura e outros tecidos sintéticos rip-stop. Algumas além de impermeáveis, também são respiráveis.

quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

Botas Técnicas vs Botas Estilo Aventura

Acho que todo viajante alternativo/montanhista sabe a importância da bota. Não é por menos que ela é um símbolo de aventura. Porém, vejo que muitas pessoas ainda não conseguem entender as características de uma bota para montanhismo, ou seja, uma bota técnica, para uma bota "estilo aventura", ou bota para shopping, como costumo classificar.
O objetivo desse artigo é tentar fazer com que você entenda de verdade a diferença entre uma e outra. Embora tenham o mesmo design e as fotos do catálogo sempre remetem ao seu uso extremo num ambiente outdoor, quase sempre montanhoso, a diferença entre elas é enorme!
Tendo um objetivo concreto de onde pretende usar a bota, antes de sair de casa para fazer a compra, convém dar uma boa pesquisada sobre a marca, qual a opinião de quem a usa e o atendimento pós-venda da mesma. Você vai entender o porque...

quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

O reflexo da leitura nas viagens

Sempre que me pedem para comentar sobre as viagens que fiz até então, há pessoas que se espantam com as histórias e me indagam com as seguintes perguntas:

- Você não tem medo?
- De onde tira inspiração para suas viagens?
- O que você procura, afinal?

A resposta que dou para essas perguntas segue sempre essa mesma linha de pensamento:
A minha busca pelas viagens anda lado a lado com minha busca pela liberdade. Se têm algo que acho importante nessa vida, é a procura pela liberdade. Quanto mais livre me sinto, mais sei que tenho a conquistar e a me desprender. O horizonte se expandindo aos meus olhos é um convite para seguir em frente.

sábado, 14 de dezembro de 2013

Meninas & Mochilas

Foto: Mikhail Dudarev
Quando na escola estudávamos a história das explorações de antigamente, era sempre a imagem de homens com expressão de valentes que ilustravam os livros. Eram eles que cruzavam continentes, exploravam novos horizontes e se envolviam com outras culturas. Felizmente hoje a história que escrevemos é diferente. As mulheres vem conquistando seu merecido espaço e nos ensinando muito. No meio outdoor, hoje, por exemplo, é comum fazer trekking pesados ao lado de garotas ou nos deparar com elas viajando de mochilão sozinhas por meses/anos a fio.

quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

Fogareiro +Providus FM800

Fogareiro é um dos itens importantes na mochila de qualquer montanhista. No mercado brasileiro já há alguns modelos, mas não lembro de nenhum como o que vou apresentar para vocês. Fogareiros que são rosqueados em cima do botijão tem a grande desvantagem de serem instáveis.
Comprei o fogareiro da marca italiana +Providus, essa empresa fabrica fogareiros desde 1928. O modelo que escolhi foi o FM800, possuo ele há quase 3 anos. Nesse período, usei em trekkings na Patagônia argentina e chilena, e também nos estados de Santa Catarina, Paraná, Rio Grande do Sul e Roraima. Os ambientes foram os mais diversos, de praia à montanha, em todas as estações do ano.